Saúde Pública, Rio de Janeiro

ARTIGO
ARTICLE
1680
Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 30(8):1680-1694, ago, 2014
Qualidade da dieta e fatores associados entre
idosos: estudo de base populacional em
Campinas, São Paulo, Brasil
Diet quality and associated factors among the
elderly: a population-based study in Campinas,
São Paulo State, Brazil
Calidad de la dieta y sus factores asociados
en ancianos: estudio de base poblacional en
Campinas, São Paulo, Brasil
1
Faculdade de Ciências
Médicas, Universidade
Estadual de Campinas,
Campinas, Brasil.
2
Departamento de Saúde,
Clínica e Instituições,
Universidade Federal de
São Paulo, Santos, Brasil.
3
Faculdade de Saúde
Pública, Universidade de
São Paulo, São Paulo, Brasil.
Correspondência
D. Assumpção
Departamento de Saúde
Coletiva, Faculdade
de Ciências Médicas,
Universidade Estadual de
Campinas.
Rua Tessália Vieira de
Camargo 126, Cidade
Universitária Zeferino Vaz,
Campinas, SP 13083-887,
Brasil.
[email protected]
Daniela de Assumpção
1
Semíramis Martins Álvares Domene
2
Regina Mara Fisberg
3
Marilisa Berti de Azevedo Barros
1
Abstract
The aim of this study was to assess the quality
of diet among the elderly and associations with
socio-demographic variables, health-related
behaviors, and diseases. A population-based
cross-sectional study was conducted in a repre-
sentative sample of 1,509 elderly participants in
a health survey in Campinas, São Paulo State,
Brazil. Food quality was assessed using the
Re

vised Diet Quality Index
(DQI-R). Mean index
scores were estimated and a multiple regression
model was employed for the adjusted analyses.
The highest diet quality scores were associated
with age 80 years or older, Evangelical religion,
diabetes mellitus, and physical activity, while
the lowest scores were associated with home en-
vironments shared with three or more people,
smoking, and consumption of soft drinks and
alcoholic beverages. The findings emphasize a
general need for diet quality improvements in
the elderly, specifically in subgroups with un

healthy behaviors, who should be targeted with
comprehensive strategies.
Food Consumption; Diet; Elderly Nutrition;
Health of the Elderly
Resumo
O objetivo foi avaliar a qualidade da dieta de ido-
sos segundo variáveis sociodemográficas, compor

tamentos relativos à saúde e morbidades. Trata-se
de estudo transversal de base populacional em
amostra de 1.509 idosos, obtida por inquérito de
saúde conduzido em 2008-2009, em Campinas,
São Paulo, Brasil. A qualidade alimentar foi ava-
liada pelo
Índice de
Qualidade da Dieta Revisado
(IQD-R). Foram estimadas médias do IQD-R se-
gundo as variáveis independentes e desenvolvi-
do modelo de regressão linear múltipla para as
análises ajustadas. Os segmentos de idosos que
apresentaram escores superiores de qualidade da
dieta foram os de 80 anos e mais, evangélicos, que
praticavam atividade física de lazer e os diabéti-
cos; escores inferiores foram observados nos que
residiam com três ou mais pessoas, nos tabagistas
e nos que relataram preferência por refrigerantes
e bebidas alcoólicas. Os achados apontam para a
necessidade de melhora da qualidade da dieta dos
idosos em geral, mas especialmente nos segmentos
com outros comportamentos não saudáveis, indi-
cando, ainda, a relevância de intervenções inte-
gradas e não focadas em um fator.
Consumo de Alimentos; Dieta; Nutrição do Idoso;
Saúde do Idoso
http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00009113
QUALIDADE DA DIETA E FATORES ASSOCIADOS ENTRE IDOSOS
1681
Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 30(8):1680-1694, ago, 2014
Introdução
A população idosa brasileira apresenta elevadas
prevalências de excesso de peso (58,4%) e obe-
sidade (19,4%)
1
. O processo fisiológico do enve-
lhecimento provoca alterações na composição
corporal decorrentes do aumento da massa gor

da em detrimento da massa magra, modificações
estas, relacionadas ao declínio da atividade física
e queda na taxa de metabolismo basal. Mas, além
do sobrepeso, parcela significativa dos idosos é
acometida por carências nutricionais e mesmo
por desnutrição. No idoso, ocorrem alterações
na ingestão alimentar provocadas por perda de
apetite, diminuição da capacidade gustativa e ol-
fativa, distúrbios de deglutição, o que conduz a
menor absorção de vitaminas, minerais e outros
nutrientes
2
. Entre os fatores que podem resultar
em menor ingestão alimentar, destacam-se ain-
da o isolamento social, a depressão, a viuvez e
as incapacidades
3
. Em decorrência do reduzido
consumo de alimentos ou da adoção de uma die-
ta monótona, o idoso pode apresentar depleção
de nutrientes essenciais para a manutenção da
saúde e controle das doenças
2
.
Dados recentemente publicados, referentes
ao
Inquérito Nacional de Alimentação 2008-2009
,
evidenciam inadequação na dieta dos idosos
brasileiros. Foram analisados 4.322 indivíduos
com 60 anos ou mais, sendo observadas preva-
lências elevadas de ingestão inadequada para as
vitaminas A, C, D, E, tiamina e piridoxina e pa-
ra os minerais cálcio, magnésio, zinco e cobre.
O consumo habitual de sódio foi excessivo para
80% dos homens e 61% das mulheres
4
.
Em face do acelerado envelhecimento po-
pulacional e consequente crescimento da carga
de doenças crônicas, incapacidades e demanda
por serviços de saúde, bem como dos efeitos da
inadequada alimentação dos idosos no estado
geral de saúde e na incidência de comorbidades,
identificar os padrões dietéticos e monitorar a
magnitude das mudanças tornam-se tarefas in-
dispensáveis. O
Healthy Eating Index
(HEI)
5
é
um instrumento que viabiliza essas aplicações e
permite avaliar a qualidade da dieta em conso-
nância com os avanços científicos no campo da
nutrição, que vão sendo incorporados nos guias
dietéticos. Com a publicação do
Dietary Guide-
lines for Americans
(2005)
6
, o HEI foi revisado,
passando a ter 12 componentes, que avaliam o
grau de atendimento às recomendações de con-
sumo de alimentos e nutrientes
7
. No Brasil, o
HEI foi adaptado por Fisberg et al.
8
, originando o
Índice de Qualidade da Dieta
(IQD). Consideran-
do o lançamento das primeiras recomendações
oficiais sobre alimentação, dispostas no
Guia Ali-
mentar para a População Brasileira
9
, o IQD foi
atualizado e designado de
Índice de Qualidade da
Dieta Revisado
(IQD-R)
10
.
Levando em conta o cenário de crescimento
da população idosa e a relevância de diagnosti-
car e monitorar os padrões de comportamento
alimentar deste segmento etário, o presente es-
tudo teve por objetivo avaliar a qualidade global
da dieta de idosos de 60 anos e mais, residentes
no Município de Campinas, São Paulo, Brasil, se-
gundo variáveis sociodemográficas, de compor

tamentos de saúde e morbidades.
Métodos
Trata-se de estudo transversal de base populacio-
nal, que utilizou dados provenientes do
Inquérito
de Saúde no Município de Campinas
(ISA-Camp
2008), realizado pelo Centro Colaborador em
Análise de Situação de Saúde do Departamento
de Saúde Coletiva, Faculdade de Ciências Médi-
cas, Universidade Estadual de Campinas (FCM/
Unicamp). O período de coleta de dados ocor

reu entre os meses de fevereiro de 2008 a abril
de 2009.
A amostra do inquérito foi selecionada por
procedimentos de amostragem probabilística,
por conglomerado e em dois estágios: setor cen-
sitário e domicílio. No primeiro estágio, foram
sorteados cinquenta setores censitários com pro-
babilidade proporcional ao tamanho (número de
domicílios). Foram utilizados os setores do Insti-
tuto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE.
http://www.ibge.gov.br), definidos para o
Censo
Demográfico
de 2000; considerando o tempo de-
corrido, foi feito o arrolamento dos domicílios
dos setores selecionados para a obtenção de uma
listagem atualizada de endereços. No segundo
estágio, procedeu-se o sorteio dos domicílios.
O tamanho da amostra foi calculado valen-
do-se da estimativa de uma prevalência de 50%
(que corresponde à variabilidade máxima), com
nível de 95% de confiança, erro de amostragem
entre 4 e 5 pontos percentuais e um efeito de
delineamento de 2, totalizando mil pessoas no
estrato de 60 anos e mais. Esperando 80% de taxa
de resposta, o tamanho da amostra foi ampliado
para 1.250. Para obter o tamanho desejado, foi
definido o número de domicílios que deveriam
ser sorteados; com base na razão população ido-
sa/domicilio, foram sorteados 3.900 domicílios
para entrevistas com idosos.
As entrevistas foram feitas diretamente com
os moradores de 60 anos e mais, de ambos os
sexos, não institucionalizados, residentes na área
urbana do Município de Campinas.
As informações foram coletadas por meio de
um questionário estruturado em 14 blocos te-

Deixe um comentário

avatar